4 dicas de contabilidade para pequenas empresas

dicas contabilidade

O dinheiro é a força vital do seu negócio. Por isso, listamos quatro dicas de contabilidade essenciais para manter as contas da sua pequena empresa em dia.

dicas contabilidade

Seja administrando uma loja tradicional ou um serviço de aluguel de drones, em geral as pessoas começam seu pequeno negócio porque gostam de um nicho ou veem nele uma oportunidade, não porque pensam nas maravilhas de ficar até tarde analisando números e preenchendo livros contábeis.

Mas a dura realidade é que, a não ser que tenha recursos suficientes para contratar um contador para sua pequena empresa, você precisa saber pelo menos os fundamentos da contabilidade e como usar as ferramentas de contabilidade básicas para cumprir com suas obrigações tributárias.

Mas não se preocupe, o Capterra tem tudo o que você precisa. Siga este guia e você será capaz de ficar por dentro da contabilidade da sua pequena empresa, seja qual for o seu nicho.

4 dicas de contabilidade básicas para gestores de pequenas empresas

Não é necessário ter um mestrado para manter seus livros contábeis em ordem. Pode levar algum tempo, mas, usando as ferramentas certas e prestando atenção nos detalhes, isso é possível.

Com estes quatro passos, você poderá fazer sua contabilidade com rapidez e sem erros, saberá sempre onde está o seu dinheiro e estará pronto para fazer a declaração com confiança na hora de pagar os impostos.

Invista num software de contabilidade

Antes de depositar o primeiro cheque ou registrar sua primeira despesa, busque um software de contabilidade. Se o problema é dinheiro, existem opções gratuitas.

Ter um sistema de contabilidade lhe poupará incontáveis horas de trabalho, que podem ser investidas no crescimento do seu negócio.

Softwares de contabilidade podem rastrear faturas, pagar contas e fazer a conciliação bancária, entre outras coisas. Se você já fez alguma –ou todas– essas atividades manualmente, sabe quanto tempo pode gastar.

Além de economizar tempo, os sistemas de contabilidade também são vitais para manter os números precisos e em um só lugar. Dessa forma, fica muito mais fácil fazer suas declarações de imposto de maneira fácil e correta a cada ano.

Não sabe por onde começar a analisar as inúmeras opções de sistemas de contabilidade que existem?

Confira nosso guia de compra de sistemas de contabilidade

Mantenha separadas suas despesas comerciais e pessoais

Depois de instalar e configurar seu software de contabilidade, certifique-se de incluir no sistema apenas informações relevantes, separando um cartão de crédito/débito exclusivo para a empresa e usando-o estritamente para despesas comerciais.

Entre contadores profissionais, há um consenso em afirmar que deixar de separar os gastos pessoais dos comerciais é um dos maiores e mais comuns erros cometidos por donos de pequenas empresas.

Por que esse erro sai tão caro? 

Na melhor das hipóteses, você gastará horas quando for declarar o imposto analisando páginas e mais páginas de transações bancárias para tentar lembrar quais despesas foram relacionadas a negócios e quais foram pessoais. Na pior das hipóteses, pode acabar cometendo erros ao declarar uma despesa pessoal como de negócios e recebendo um aviso da Receita Federal.

Por outro lado, você pode perder deduções no imposto ou créditos fiscais por essa falta de organização.

A verdade é que não há desculpa para cometer tais erros. Solicite um cartão empresarial, use-o para as despesas relacionadas à empresa e mantenha-o sempre separado de seus cartões pessoais.

Equilibre a contabilidade ao fim de cada mês

Com seu sistema de contabilidade instalado e sendo alimentado pelas transações comerciais, você está pronto para verificar se há perda de dinheiro na sua empresa. Softwares de contabilidade facilitam a conciliação de contas.

O balanço contábil, que mostra essencialmente todos os ativos e passivos da sua empresa, é a fonte final da verdade que mostra todas as finanças do seu negócio.

Para isso, é preciso se certificar de que toda a sua receita está refletida dentro do seu sistema de contabilidade (se sua empresa for muito pequena, você pode fazer isso manualmente, mas é mais fácil usar o sistema de faturamento que vem como padrão em todos os softwares de contabilidade), juntamente com todas as suas despesas (conectar a conta bancária e integrar sua folha de pagamento ao sistema torna isso mais fácil).

Veja um guia rápido do Conta Azul sobre como conciliar contas:

Conciliação bancária no Conta Azul, que possui versão grátis para contadores (Fonte)

Seu sistema de contabilidade também deve lembrá-lo de fazer isso todos os meses. Assim, você pode se concentrar em administrar seus negócios e ganhar mais dinheiro com as informações mostradas pelo sistema.

Acompanhe seus relatórios essenciais

A boa notícia é que, se você chegou até aqui, esta é a parte mais fácil. 

Depois de instalar e configurar seu sistema de contabilidade, manter as despesas comerciais separadas das pessoais e certificar-se de que as contas estão equilibradas no final de cada mês, seu sistema está pronto para produzir relatórios de contabilidade que permitirão que você saiba como está a saúde do seu negócio.

Abaixo listamos os três relatórios essenciais e o que você pode aprender com cada um deles:

  • Folha de balanço: como visto anteriormente, este relatório mostra tudo o que sua empresa possui e tudo o que ela deve.
  • Declaração de rendimentos: também conhecido como demonstração de lucros e perdas, este relatório mostra todos os ativos que entraram (receitas) e que saem (despesas) da sua empresa durante um período (um mês, um trimestre ou ano).
  • Demonstração de fluxos de caixa: semelhante à declaração de rendimentos, a demonstração de fluxos de caixa mostra o dinheiro que entra e o que sai da sua empresa ao longo de um período de tempo. A diferença é que neste relatório inclui-se apenas dinheiro, enquanto a declaração de rendimentos inclui outros itens, como valor imobiliário e depreciação de equipamentos.
balanço contabilizei dicas de contabilidade
Exemplo com uma estrutura básica de uma folha de balanço patrimonial (Fonte)

Use esses três relatórios para acompanhar a saúde financeira da sua empresa e, assim, tomar melhores decisões sobre quando controlar os gastos e quando investir em crescimento.

Fique por dentro da contabilidade da sua pequena empresa

Vale lembrar que à medida que sua empresa cresce, a contabilidade fica mais complicada, e você eventualmente precisará de ajuda.

Para mais dicas de contabilidade para pequenas empresas, siga o blog do Capterra. Para começar, confira os seguintes artigos:

Busca softwares de contabilidade? Confira nosso catálogo!

Aviso legal

Apesar deste documento ser destinado a informar nossos clientes sobre o impacto da tecnologia em seus negócios, ele não tem a intenção de fornecer aconselhamento jurídico ou endossar um curso de ação específico.

Os programas selecionados neste artigo são exemplos para mostrar um recurso em contexto, não se tratando de endossos ou recomendações. Eles foram obtidos de fontes consideradas confiáveis no momento da publicação.

O que é VDI? Conheça os softwares de virtualização de desktops

o que é vdi

Tornar o trabalho remoto mais eficiente para seus funcionários requer transformação tecnológica. Os softwares de virtualização de desktops podem ajudá-lo nesse processo. Saiba como.

o que é vdi

O trabalho remoto, que cresceu durante a pandemia do coronavírus, traz diversas preocupações, como aquelas relacionadas à produtividade dos funcionários e à escolha das ferramentas certas para realizar as tarefas. Mas acima de tudo está a segurança, especialmente se os funcionários usam dispositivos pessoais para trabalhar.

Estudo recente do Capterra com 481 profissionais que trabalham em micro, pequenas e médias empresas (de até 250 funcionários) de diferentes setores de todo o país sobre a transformação digital nas organizações e as prioridades de segurança de TI no ambiente atual mostrou que as ameaças à segurança são um problema real.

Porém, com as ferramentas e tecnologias certas, as empresas podem mitigar tais preocupações sem comprometer a produtividade e a eficiência dos trabalhadores. 

Uma delas é a chamada infraestrutura de desktop virtual (VDI na sigla em inglês). Não sabe o que é VDI? Neste artigo explicamos o que é VDI, como combiná-la com outras ferramentas de TI e como ela pode ajudar o seu negócio.

O que é VDI?

Os softwares de virtualização de desktops são uma combinação de diferentes tecnologias que permitem aos usuários hospedar ambientes de desktop –como sistemas operacionais, programas, ícones, etc.– em um servidor remoto gerenciado de modo centralizado. Esses ambientes de desktop virtuais podem ser acessados pelos usuários a qualquer hora e de qualquer lugar.

Uma maneira de imaginar esse ambiente virtual é pensando em um megacomputador armazenado em um local em que você não pode realmente vê-lo. Esse computador tem uma área de trabalho com um sistema operacional –por exemplo, Windows ou Mac–, dados do seu negócio e programas para gerenciamento de arquivos, softwares de comunicação, sistemas de contabilidade, etc. 

O software VDI clona essa área de trabalho e permite que os usuários a vejam em seus dispositivos pessoais quando se conectam ao megacomputador por acesso remoto.

Existem dois tipos de software VDI:

  • VDI persistente: permite que os usuários entrem individualmente em um mesmo desktop virtual personalizável sempre que se conectarem. Essa opção exige maiores espaços de armazenamento e memória, uma vez que cada arquivo é salvo separadamente para usuários únicos. O desktop persistente é mais caro do que o não persistente. Além disso, é mais recomendado para usuários que precisam de continuidade para seus projetos, como designers de produto, designers gráficos e engenheiros.
  • VDI não persistente: atribui aos usuários uma área de trabalho selecionada aleatoriamente de um grupo de áreas de trabalho cada vez que eles se conectam. Como as alterações que os usuários individuais fazem em seus desktops não são salvas, este tipo de software VDI é mais adequado para trabalhadores que não precisam exatamente do mesmo ambiente todos os dias, exigindo apenas acesso aos dados e aplicativos da empresa, como os agentes de call center, por exemplo.
adicionar-usuários cloudalize software
Inclusão de funcionalidades de usuários no Cloudalize Software (Fonte)

Por que usar um software VDI?

Entre as vantagens de um software VDI, podemos destacar:

Economia de dinheiro em dispositivos e manutenção: você pode investir em menos máquinas e comprar versões limitadas de programas, tudo isso sem deixar de fornecer todas as ferramentas necessárias para que seus funcionários trabalhem adequadamente.

Flexibilidade de dispositivos: com um software VDI, você pode investir em um sistema avançado para seu data center e instalar nele todos os programas de que seus funcionários precisam. Seus funcionários podem usar seus próprios dispositivos para acessar com segurança os desktops virtuais e as funcionalidades dos programas que precisam para realizar suas tarefas, independentemente de onde estejam.

Redução de tempo e esforço de TI: com um software VDI, sua equipe de TI só precisa instalar, corrigir e atualizar programas no data center. Como todos os desktops virtuais replicam o desktop central, em casos de erros ou perda de dados, sua equipe de TI não precisa pesquisar e corrigir arquivos e aplicativos em sistemas individuais.

Segurança do espaço de trabalho: se um funcionário perde seu laptop corporativo contendo dados confidenciais, isso pode significar enormes prejuízos financeiros e de segurança para sua empresa. Os softwares VDI ajudam a minimizar esses riscos de segurança, mantendo os programas e as informações confidenciais protegidos na nuvem e longe do acesso não autorizado por meio de dispositivos pessoais.

4 fatores a ter em mente ao escolher um software VDI

Encontrar a tecnologia certa pode ser estressante, já que se trata de um investimento de longo prazo. Para ajudá-lo, listamos quatro fatores que você deve ter em mente quando for escolher um software VDI para a sua empresa:

1. Saiba o que seus usuários finais precisam: certifique-se do tipo de VDI que você deseja implantar. Por exemplo, funcionários de call center podem trabalhar em desktops virtuais alocados aleatoriamente por meio de um VDI não persistente, enquanto designers gráficos e engenheiros de produto precisam acessar o mesmo desktop todos os dias, ou seja, precisam de um VDI persistente.

2. Avalie a facilidade de uso e a simplicidade do sistema: escolha um software VDI amigável aos gerentes de TI. A equipe de TI precisa ter uma visibilidade completa da tecnologia usada e ser capaz de agilizar as operações sem se cansar em procedimentos complexos sempre que for necessário fazer um upgrade ou atualização.

3. Atente para a segurança: o software escolhido deve oferecer opções de segurança avançadas, como criptografia dinâmica e autenticação multifator. Se você já usa ou planeja usar um software antivírus e um programa de VPN, verifique a compatibilidade deles antes de escolher o software VDI.

4. Execute um teste de provisionamento apropriado: os provedores de software VDI oferecem ferramentas de teste que ajudam a executar uma implantação piloto antes da compra e implementação. Isso garante que você entenda os recursos exigidos por cada desktop virtual e se sua infraestrutura de TI pode lidar com eles. Caso contrário, você pode fazer ajustes antes da implantação real para que os usuários finais tenham acesso ao que realmente precisam.

Busca softwares de virtualização de desktops?  Confira nosso catálogo!

Metodologia e aviso legal

Para reunir os dados do estudo presente neste artigo, o Capterra realizou um levantamento online entre os dias 3 e 4 de abril em que ouviu 481 profissionais que trabalham em micro, pequenas e médias empresas (até 250 funcionários) de diferentes setores de todo o país. Os resultados são representativos da pesquisa, mas não necessariamente da população como um todo.

Apesar deste documento ser destinado a informar nossos clientes sobre o impacto da tecnologia em seus negócios, ele não tem a intenção de fornecer aconselhamento jurídico ou endossar um curso de ação específico.

Os programas selecionados neste artigo são exemplos para mostrar um recurso em contexto, não se tratando de endossos ou recomendações. Eles foram obtidos de fontes consideradas confiáveis no momento da publicação.

Wat is PropTech? De digitalisering van de vastgoedsector

wat is proptech

Het is nog maar een aantal jaar terug dat het kopen of huren van een huis startte via een krantenbericht of internetadvertentie van een makelaar. Na het spotten van een huis belden we de makelaar voor een bezichtiging. Dit is allemaal radicaal veranderd sinds PropTech een plaats in de vastgoedsector heeft ingenomen. Het klinkt veelbelovend, maar wat is PropTech nou precies?

Wat is PropTech?

PropTech komt van het Engelse Property Technology en is te definiëren als de verzameling van innovatieve technologieën die in de vastgoedsector worden gebruikt. In de VS wordt ook wel de term Retech gebruikt. Er verschijnen steeds meer tools die gebruik maken van technologieën omtrent financiën, virtual reality, huisautomatisering en Big Data.

PropTech wordt steeds groter, zoals onder meer blijkt uit de toename van PropTech investeringen in de VS.

Blijf lezen om meer te weten te komen over PropTech en de oplossingen en de voordelen zijn door deze dienst.

Welke tools biedt PropTech?

Nu we hebben besproken wat PropTech is, sommen we een aantal voorbeelden voor je op met betrekking tot het gebruik van de bijbehorende technologie.

Marketplace- en peer to peer-platforms

Je kent en gebruikt vast wel portals als Funda. Zulke websites, ook wel bekend als marketplaces, gebruiken steeds meer PropTech tools om de banden tussen huurders, eigenaars en makelaars te vergemakkelijken. Dit gebeurt bijvoorbeeld door de mogelijkheid te bieden om berichten te sturen via het platform, reserveringen in te plannen of een virtuele tour te nemen in het huis.

In het geval van de peer to peer-platforms – van persoon tot persoon – laat direct contact tussen verkoper en koper toe via direct messaging tools. Zo worden de tussenpersonen weggehaald. Het bekendste bedrijf dat gebruikt maakt van deze soort technologie is AirBnB, een site waarmee je gemakkelijk kan overnachten in woningen over de hele wereld.

Virtuele tours

De vastgoedsector heeft PropTech tools die een virtueel bezoek van een aangeboden locatie mogelijk maken ingevoerd. Sommige van deze oplossingen maken zelfs gebruik van een 3D-model van het huis waarbij 360º-foto’s worden gebruikt, waarmee een gebruiker iedere kamer kan bezoeken via een computer of smartphone. Dit is nog populairder geworden, vanwege de pandemie waarin fysiek contact en de mobiliteit beperkt zijn.

Er zijn verschillende tools om 3D-modellen van huizen te maken. Daarmee kan, dankzij 360º-foto’s of grafische simulaties, een virtuele maquette gemaakt worden van het huis.

Bovenop 3D-modellen zijn er ook bedrijven die virtual reality software gebruiken om de gebruiker een unieke ervaring te bieden. De gebruiker kan zo zijn potentiële huis goed bezoeken, via de smartphone of met een virtual reality-bril, zonder zijn huidige huis uit te gaan. Het is zelfs mogelijk nog niet-bestaande huizen te visualiseren. Zo kan de koper een weloverwogen keuze maken over hoe het huis eruit moet zien.

Gebruik van Big Data voor data-analyse

Er zijn verschillende beschikbare Big Data tools, waarmee het mogelijk is volledig gebruik te maken van PropTech in de vastgoedsector. Big Data biedt toegang tot een grote hoeveelheid data om daarmee het gedrag van een bepaald segment van de bevolking te analyseren. Deze data zijn de talloze gegevens en informatie die we dagelijks delen met de (digitale) bedrijven waarvan we diensten gebruiken.

Deze informatie is zeer bruikbaar wanneer toekomstige scenario’s geanalyseerd en geïdentificeerd moeten worden voordat de concurrenten dat doen. De data die voortkomen uit Big Data kunnen helpen om potentiële klanten te identificeren door bijvoorbeeld te laten zien waar een specifieke deel van de bevolking met een bepaald inkomen heen verhuist. Het kan een afname of toename in de (ver)koopactiviteit van huizen in een bepaald gebied en de gebieden met meer rentabiliteit tonen.

Financieringsplatforms en platforms voor financiële transacties

Het beheer van de financiën is essentieel in iedere sector van de industrie. Daarom zijn er tools voor het beheer van de financiën die op vandaag een cruciale bondgenoot voor MKB’s. Behalve digitale controle- en preventietools introduceert PropTech ook een ander soort handige tool voor de vastgoedsector.

Het verkrijgen van financiering is traditioneel iets dat via de banken gaat. PropTech laat microfinanciering toe, ook wel bekend als crowdfunding, waarmee het mogelijk is om een netwerk van investeerders te bereiken dat reikt van particulieren tot bedrijven.

PropTech tools maken het ook mogelijk om geldtransacties te verwezenlijken met oplossingen die bekend staan als FinTech. Het voornaamste voordeel in het gebruik van deze technologieën is een vermindering in de uitgaven van deze financiële handelingen in vergelijking met de traditionele bank, omdat extra handmatige handelingen op een kantoor worden voorkomen en het mogelijk is om een alternatief betalingssysteem te gebruiken, zoals cryptogeld.

De voornaamste voordelen van PropTech in de vastgoedsector

Nu je weet wat proptech is en welke toepassingen er zijn, vraag je je misschien af of het daadwerkelijk handig is om dit soort tools te implementeren in jouw bedrijf. Dit zijn de voornaamste voordelen van het gebruik van PropTech:

  • Het geeft extra waarde aan de aangeboden dienst van een vastgoedbedrijf en biedt voordelen voor zowel de gebruiker als het bedrijf. Bovendien is het met de toename van technologie in alle sectoren vitaal om te investeren in PropTech tools om zo boven de concurrentie uit te steken.
  • Het vergemakkelijkt het contact tussen verkoper en koper. Door gebruik te maken van peer to peer-communicatie worden tussenpersonen verwijderd en de ervaring van de communicatie tussen eigenaar en huurder/koper verbeterd via direct messaging apps.
  • Het maakt het mogelijk om virtuele bezoeken van het pand te organiseren via een bericht gepubliceerd op een vastgoedplatform. Dit blijkt een groot voordeel te zijn, vooral tijdens de COVID-19-pandemie, omdat het aantal fysieke bezoeken zo afneemt, waardoor tevens de tijd waarin professionals actief moeten zijn wordt verminderd.
  • Door gebruik te maken van Big Data-tools is het mogelijk om waardevolle informatie te verkrijgen en analyseren voor onderzoek naar bepaalde profielen van toekomstige kopers. Deze data laten het bovendien toe om een zoektocht naar mogelijke kopers uit een bepaalde inkomstengroep te verfijnen.

PropTech gaat nog veel bieden in de huidige maatschappij en de toekomst. Het wordt steeds meer geïmplementeerd op wereldwijde schaal en er zijn steeds meer bedrijven die dit soort oplossingen bieden. De realiteit is dat investeren in dit soort tools van slechts een optie naar een noodzaak is doorgegroeid voor alle bedrijven in de vastgoedsector.

En nu? Bekijk onze catalogus met vastgoedbeheer software  om de juiste tool te vinden

10 empresas de software en España a seguir en el 2021

10 empresas de software en España a seguir en el 2021

10 empresas de software en España a seguir en el 2021

Capterra ha seleccionado a 10 exitosas empresas de software B2B (negocio a negocio por sus siglas en inglés) con sede en España a las cuales hay que seguir de cerca durante el 2021. Son organizaciones que cubren distintas necesidades empresariales, desde gestión de viajes de negocios o administración de propiedades de alquiler vacacional hasta software de recursos humanos o de creación de formularios y encuestas

¿Por qué seguir estas empresas de software en España? Porque son compañías que van a la alza, sus programas han tenido buenas valoraciones en Capterra y los productos y servicios que ofrecen son utilizados a nivel internacional tanto por pymes como por grandes empresas e incluso de uso académico o personal.

La lista se presenta en orden alfabético y se ha elegido según los siguiente criterios:

  • La empresa tiene la sede en España.
  • El software de la compañía cuenta con un mínimo de 30 opiniones publicadas en Capterra durante los últimos dos años.
  • La calificación del software de la empresa es de 4 estrellas o más en Capterra.
  • La empresa fue fundada a partir del 2010.
  • El software de la empresa tiene un alto volumen de búsqueda en internet.

Ve al final del artículo para ver la metodología completa mediante la cual se hizo la selección de las empresas del artículo.

10 empresas de software B2B con sede en España a seguir en el 2021

BEWE Software

  • Empresa: BEWE Software
  • Software: BEWE
  • Fundador: Diego Ballesteros
  • Fundada: 2014
  • Sede: Madrid

BEWE es una solución para gestionar centros de belleza y wellness, tanto de uso interno como de cara al cliente. La plataforma permite llevar la contabilidad del centro, los stocks, el número de solicitud de servicios, cantidad facturada al día o en cierto periodo de tiempo, contador de interacciones con clientes por distintos canales, entre otras funciones.

Entre sus funcionalidades se encuentran: crear una app personalizada, posibilitar el pago online, gestionar el calendario de los centros y automatización de campañas de marketing y fidelización. Cuenta con la integración de Google Maps que vincula las búsquedas de internet con los centros de belleza y wellness de los clientes.

Más información

Factorial

  • Empresa: Factorial
  • Software: Factorial
  • Fundadores: Jordi Romero, Pau Ramón y Bernat Farrero
  • Fundada: 2016
  • Sede: Barcelona

Factorial es una plataforma basada en la nube de recursos humanos y planes de incentivos a empleados. El objetivo de este software es optimizar procesos y tareas administrativas. Está ideado para que las empresas tengan el control de la gestión de los datos de su plantilla.

La herramienta permite administrar vacaciones, bajas y ausencias, analizar datos internos, control de horarios y turnos, facilitar el reclutamiento de nuevos empleados, automatizar la generación de nóminas y contratos laborales, entre otras características.

Más información

Hireflix

  • Empresa: Hireflix
  • Software: Hireflix
  • Fundador: Nacho González-Barros y Antonio González
  • Fundada: 2018
  • Sede: Barcelona 

Hireflix es un software de vídeo-entrevistas de trabajo asincrónicas, esto significa que el postulante recibe la invitación a una entrevista pregrabada y puede realizarla cuando mejor le convenga. La finalidad de esta plataforma es que los reclutadores puedan registrar más respuestas de candidatos en menos tiempo en comparación a si se tuvieran que hacer una a una.

La herramienta utiliza una interfaz de drag and drop para diseñar la entrevista, con ella también se pueden programar los mensajes y recordatorios (vía SMS y correo electrónico) a los candidatos, así como el seguimiento del proceso. Cuando las entrevistas se han grabado se pueden calificar en la misma plataforma. 

Más información

iLovePDF

  • Empresa: iLovePDF
  • Software: iLovePDF
  • Fundador: Marco Grossi
  • Fundada: 2010
  • Sede: Barcelona

iLovePDF es una plataforma para gestionar de múltiples maneras archivos PDF, uno de los formatos más conocidos y usados actualmente. Con este software se puede editar, organizar, dividir, combinar, comprimir, optimizar y administrar la seguridad de este tipo de archivos. También tiene la funcionalidad de convertir otros formatos de archivo a PDF y viceversa, por ejemplo: JPG, Word, Excel, PowerPoint, HTML y PDF/A.

Este servicio está disponible como app de móvil, software de instalación local en el ordenador y mediante el navegador. Está enfocado tanto al uso educativo como en los negocios.

Más información

Landbot

  • Empresa: Landbot
  • Software: Landbot
  • Fundadores: Cristobal Villar, Fernando Guirao y Jiaqi Pan
  • Fundada: 2015
  • Sede: Barcelona

Landbot es una plataforma para crear apps de chatbots por medio de una interfaz drag and drop. Está diseñado para que tanto principiantes como expertos puedan desarrollar chatbots personalizados para sus negocios. Sirve tanto para los procesos de asistencia al cliente como para generar nuevas oportunidades de clientes. .

Los chatbots que se construyen con esta herramienta se pueden implementar en una página web, una API, en WhatsApp o en Facebook Messenger. La app permite a los clientes conversar con un bot o con un humano, dependiendo sus necesidades. Los datos de las conversaciones se pueden almacenar y analizar en la misma plataforma pero también se puede compartir con otras herramientas para ser procesadas externamente, como un CRM o un ERP.

Más información

Lodgify

  • Empresa: Lodgify
  • Software: Lodgify
  • Fundadores: Dennis Klett y Marco De Gregorio
  • Fundada: 2012
  • Sede: Barcelona

Lodgify es un software de gestión y cobro de alquiler de casas vacacionales. Con esta herramienta puedes crear una página web de la propiedad que quieres alquilar, incluye de forma gratuita el dominio y recursos ilimitados del servidor.

Este servicio se sincroniza con Airbnb, VRBO, Booking, Expedia, entre otras, de esta manera se pueden controlar las reservas y calendario de estos canales desde Lodgify. A su vez, posibilita el pago online con distintas pasarelas y en múltiples monedas. Está disponible en más de 190 países.

Más información

Rentals United

  • Empresa: Rentals United
  • Software: Rentals United
  • Fundadores: Emil Majkowski, Vanessa de Souza Lage y James Burrows
  • Fundada: 2014
  • Sede: Barcelona 

Rentals United es un software basado en la nube con el que se gestionan distintos canales de alquileres de propiedades vacacionales. Desde esta plataforma se puede actualizar la disponibilidad, el precio, las fotos y la información de la propiedad en 40 canales distintos (generales o de nicho), incluidos AirBnB, Expedia y Booking, por mencionar algunos. 

El software también permite que los clientes realicen directamente una reserva por medio de páginas específicas, así como se tiene el control de las reservaciones, los mensajes y peticiones de los huéspedes, entre otras. 

Más información

The Mail Track Company

  • Empresa: The Mail Track Company
  • Software: MailTrack
  • Fundadores: Eduardo Manchón y Nacho González-Barros
  • Fundada: 2013
  • Sede: Barcelona

MailTrack es un tracker de correos electrónicos para Gmail, esta herramienta hace seguimiento de los emails que se envían y notifica cuando el receptor los ha abierto, siguiendo el estilo del doble tic (✓✓) de WhatsApp, un tic ✓ significa que el email ha sido entregado y el doble tic ✓✓ que ha sido abierto. La herramienta indica cuándo fue la primera vez que se abrió el email y permite hacer campañas de email marketing. 

Cuenta con versión gratuita y versión Pro, esta última incluye más funcionalidades como integración con herramientas CRM, cuánta veces se ha abierto el correo, informes de seguimientos diarios, recordatorios, por mencionar algunas.

Más información

Travelperk

  • Empresa: Travelperk
  • Software: Travelperk
  • Fundadores: Avi Meir, Javier Suarez, Ron Levin
  • Fundada: 2015
  • Sede: Barcelona 

Travelperk es una plataforma de gestión y reservas de viajes corporativos. En ella se centraliza la planificación de un viaje de negocios, buscar la disponibilidad, dentro el presupuesto establecido, automatización de facturas, así como muestra distintas opciones de medios de viaje: vuelos, trenes y coches de alquiler. 

La herramienta está diseñada para facilitar el trabajo tanto a los encargados de organizar los viajes como a los viajeros. Ofrece soporte de viaje 24/7 atendido por personas, en caso de cualquier incidencia.

Más información

Typeform

  • Empresa: Typeform
  • Software: Typeform
  • Fundadores: Robert Muñoz y David Okuniev
  • Fundada: 2012
  • Sede: Barcelona

Typeform es una plataforma basada en la nube que sirve para crear encuestas o formularios. La idea de este producto es ir pregunta a pregunta, de manera informal para que la experiencia del encuestado sea más parecida a una charla entre amigos.

El software permite agregar elementos como fotos o vídeos que van reaccionando a las respuestas, agregando interactividad a la experiencia. El editor de Typeform presenta una interfaz de drag and drop para diseñar los cuestionarios. Se pueden utilizar plantillas creadas por Typeform o puedes hacerlas tu mismo desde cero. A la vez también permite integrar las encuestas con otras plataformas como MailChimp, Hubspot o Google Sheets.

Más información

¿Quieres saber más? Visita nuestro catálogo de software para empresas para descubrir y comparar productos.

Metodología
Las empresas presentadas en este artículo fueron seleccionadas siguiendo estos criterios:
  • Software de la empresa tiene 30 opiniones o más publicadas en los últimos dos años en Capterra
  • Cada software tiene 4 estrellas o más de calificación en Capterra
  • La empresa cuenta con una oficina central en España
  • La empresa fue fundada a partir del 2010 en adelante
  • El nombre del software de la empresa presenta un alto volumen de búsqueda (SV por sus siglas en inglés) en internet
Los productos se presentan en orden alfabético.

Como escolher as ferramentas de marketing digital certas para o seu negócio

ferramentas Marketing digital

Não sabe em quais ferramentas de marketing digital investir? Este artigo traz uma breve análise dos principais softwares do tipo, o que esperar deles e como selecionar os mais adequados.

ferramentas Marketing digital

Antes de entrar nos termos técnicos de marketing, como automação, análise e engajamento, é importante que você entenda como seus processos de marketing funcionam. Isso é fundamental para identificar as necessidades que podem ser atendidas pelas ferramentas de marketing, os tipos de ferramentas que vão ajudá-lo, o modo como elas funcionam umas com as outras e o papel do elemento humano. Sim, as ferramentas de marketing (ainda) não substituem o elemento humano.

Faça o seguinte exercício com sua equipe:

Reúna todos em uma sala para traçar juntos o fluxo do processo de marketing da empresa. Quer seja na criação de uma campanha de e-mail marketing ou de uma nova estratégia de geração de leads, anote cada etapa em um post-it e os posicione linearmente na parede ou sobre uma mesa.

Dessa forma, vocês serão capazes de identificar quaisquer desconexões ou gargalos e onde o processo fica lento. Também podem existir grupos de tarefas que precisam ser otimizados.

Cada um desses problemas é um desafio que você precisa resolver. Portanto, o mais lógico é procurar ferramentas com foco nessas atividades e que ofereçam uma automação completa ou, pelo menos, um fluxo mais simplificado.

Ferramentas de marketing digital: as 3 áreas mais importantes

Marketing de conteúdo, e-mail marketing, gerenciamento de redes sociais, web analytics e ferramentas de pesquisa. Existem dezenas de categorias de software que se enquadram como ferramentas de marketing. Porém, as pequenas e médias empresas (PMEs) devem evitar se distrair com ferramentas “moderninhas” e, em vez disso, se concentrar em três áreas principais: engajamento, execução e insight.

1. Engajamento

De acordo com a Gartner, as ferramentas da categoria de engajamento são aquelas que potencializam os pontos de contato que chegam até seus clientes e leads. Muitas vezes, elas são os motores de canais específicos que entregam mensagens de outbound marketing e registram os resultados (artigo completo, em inglês, disponível para clientes da Gartner).

Dois tipos populares de software de engajamento que podem ajudar a sua empresa a criar campanhas de marketing direcionadas e eficazes são as ferramentas de e-mail marketing e as de marketing de redes sociais.

O que é uma ferramenta de e-mail marketing?

Uma ferramenta de e-mail marketing é um sistema que automatiza as comunicações por e-mail entre uma empresa e seus leads e clientes. Ela oferece recursos como envio de e-mails em massa, banco de dados de contatos, gestão de assinantes e modelos de e-mail para usar em campanhas.

Esse tipo de software também ajuda a monitorar a eficácia do marketing por e-mail e a aumentar sua eficiência com insights que podem ser aplicados tanto em campanhas atuais como nas mais antigas.

As ferramentas de e-mail marketing ajudam em tarefas como:

  • gestão de modelos de e-mail
  • criação de newsletters com foco no cliente
  • envio de e-mails de pesquisa
  • execução de campanhas promocionais
EmailOctopus e-mail marketing
Exemplo de criação de campanha de e-mail marketing no EmailOctopus (Fonte)

Quando vale a pena optar por um software de e-mail marketing?

Sua empresa deve pensar em adicionar um software de e-mail marketing ao seu pacote de ferramentas de marketing se sua equipe estiver buscando uma maneira de enviar e-mails para clientes existentes e potenciais de maneira eficaz e direcionada e de rastrear o sucesso das interações em um só lugar.

Mais informação sobre ferramentas de e-mail marketing:

O que é uma plataforma de gerenciamento de redes sociais?

As plataformas de gerenciamento de redes sociais são sistemas que permitem que as equipes de marketing trabalhem o reconhecimento da marca e a fidelidade do cliente, ao mesmo tempo em que centralizam todas as atividades de redes sociais e de alcance em uma única plataforma. Normalmente, esse software oferece recursos como publicação automática, gestão de conteúdo e segmentação de clientes.

As ferramentas de redes sociais ajudam em tarefas como:

  • agendamento e seguimento de postagens
  • rastreamento de conversão
  • gerenciamento de múltiplas contas
Hootsuite gerenciamento de redes sociais
Criação de calendário de conteúdo no Hootsuite, que possui versão grátis (Fonte)

Quando vale a pena optar por um software de marketing de redes sociais?

Você deve considerar adquirir um software de marketing de redes sociais se deseja construir uma presença forte nas redes com o objetivo de fomentar o relacionamento com clientes já existentes.

2. Execução

De acordo com a Gartner, as ferramentas da categoria de execução fornecem um repositório unificado para seu conteúdo de marketing e ajudam a manter suas campanhas no caminho certo. As ferramentas de execução podem ser um local para armazenar todos os seus conteúdos ou podem ser ferramentas que ajudam a otimizar e automatizar tarefas e processos recorrentes (artigo completo, em inglês, disponível para clientes Gartner).

Os softwares de execução mais comuns de um pacote de ferramentas de marketing são os automação de marketing e de gestão de conteúdo (CMS na sigla em inglês).

O que é uma ferramenta de automação de marketing?

As ferramentas de automação de marketing ajudam as empresas a otimizarem os processos de outbound marketing e a gerenciar campanhas em vários canais, como e-mail, redes sociais e SMS, por exemplo. Elas também ajudam a automatizar tarefas recorrentes, como o disparo de e-mails e a coleta de dados de clientes.

Geralmente, os programas de automação de marketing oferecem recursos como monitoramento de ROI (retorno sobre o investimento na sigla em inglês), gestão de leads, campanhas gota a gota, geração e segmentação de leads e gerenciamento de canais.

As ferramentas de automação de marketing ajudam em tarefas como:

  • criação e lançamento de campanhas gota a gota
  • lead scoring
  • testes A/B e análise de dados
Omnisend automação de marketing
Mapeamento de campanha gota a gota no Omnisend, que possui versão grátis (Fonte)

Quando vale a pena optar por um software de automação de marketing?

Você deve considerar investir em um software de automação de marketing se estiver procurando otimizar as execuções de campanhas de marketing e utilizar novas tecnologias para obter o máximo de cada interação com o cliente.

O que é CMS?

Um sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) ajuda as empresas a gerenciarem todo o conteúdo digital existente em seu site. Ele ajuda a estabelecer um repositório categorizado de conteúdo e permite a criação, modificação, armazenamento e exclusão de todas as formas de ativos digitais, incluindo documentos, imagens e vídeos.

Os sistemas de gerenciamento de conteúdo ajudam em tarefas como:

  • personalização de conteúdo usando templates
  • monitoramento e indexação de documentos
  • gerenciamento de SEO
CMS Hub cms
Gerenciamento de páginas no CMS Hub, que possui versão em português (Fonte)

Quando vale a pena optar por um CMS?

Você deve considerar a aquisição de um software de gerenciamento de conteúdo se já tiver ou pensa em investir em um grande repositório de conteúdo.

Mais informação sobre softwares de gestão de conteúdo:

3. Insight

De acordo com a Gartner, os softwares de insights capturam dados valiosos e fornecem insights que podem ajudá-lo a identificar estratégias para alcançar as metas de negócios (artigo completo, em inglês, disponível para clientes da Gartner).

Eles também proporcionam informações de grande valor sobre como os clientes estão interagindo com suas campanhas de marketing, dando a você a oportunidade de ajustar suas ações com base em feedbacks reais. Aqui entram os softwares de pesquisa e de experiência do cliente.

O que é uma ferramenta de pesquisa?

Uma ferramenta de pesquisa permite que os usuários projetem, conduzam, agendem e publiquem pesquisas, enquetes e questionários online para realizar pesquisas de mercado, medir a satisfação do cliente, coletar feedback de funcionários, etc. Ela oferece uma variedade de formatos de feedback de usuário, como botões de opção, caixas de seleção e campos de texto de formato livre.

As ferramentas de pesquisa ajudam em tarefas como:

  • análise de sentimentos 
  • coleta de feedback de clientes
  • acompanhamento de eventos
SurveyLegend ferramenta de pesquisa
Criação de pesquisa de marca no SurveyLegend, que possui versão grátis (Fonte)

Quando vale a pena optar por uma ferramenta de pesquisa?

Sua equipe de marketing deve pensar em investir em um software de pesquisa se há necessidade de avaliar a opinião dos clientes sobre qualquer desenvolvimento ou atividade de marketing recente ou de forma regular.

Mais informação sobre softwares de pesquisa:

O que é uma ferramenta de experiência do cliente?

As ferramentas de experiência do cliente permitem que suas equipes gerenciem as interações com clientes potenciais e já existentes e acompanhem aspectos como emoções e interações. Elas ajudam os profissionais de marketing a monitorar, responder e melhorar cada momento-chave ao longo da jornada do cliente, agregando as opiniões dos clientes em tempo real em seus processos de tomada de decisão.

Os softwares de experiência do cliente ajudam em tarefas como:

  • coleta de dados multicanal
  • coleta de dados para desenvolver melhores estratégias de segmentação
  • análise preditiva
UserLike experiência do cliente
Janela de bate-papo do agente no UserLike, que está disponível em português (Fonte)

Quando vale a pena optar por um software de experiência do cliente?

Um software de experiência do cliente é necessário se você deseja monitorar ativamente como seus clientes estão se envolvendo com seu site, seus e-mails, suas atividades de marketing e outras ações online.

Mais informação sobre softwares de experiência do cliente:

Como todas essas ferramentas podem trabalhar juntas?

É importante entender que as ferramentas de marketing digital que trabalham isoladas não serão úteis para o seu negócio. Os dados e ativos precisam fluir de uma ferramenta para outra, de diferentes formas.

Por exemplo, os insights coletados pelo software de e-mail marketing devem poder ser usados pela ferramenta de automação de marketing para uma melhor segmentação e qualificação de leads. Da mesma forma, os ativos armazenados no sistema de gestão de conteúdo devem poder migrar para as ferramentas de marketing de redes sociais, pesquisas, e-mail marketing e de experiência do cliente.

Assim, para que um pacote de softwares de marketing tenha sucesso, você precisa garantir que as ferramentas escolhidas sejam capazes de comunicar-se entre si. Isso vai além da integração direta e requer um entendimento completo de como e onde cada ferramenta se encaixa no fluxo de trabalho de marketing.

Tente traçar um gráfico de como você acha que isso funciona em seu negócio. Crie um fluxograma de como as tarefas e os dados devem fluir de uma ferramenta para outra.

Abaixo, colocamos um exemplo de um gráfico de fluxo de trabalho de marketing. Ele mostra como várias ferramentas de marketing podem trabalhar juntas, formando uma rede integrada de processos e atividades.

ferramentas Marketing digital integradas

O que ter em mente ao explorar ferramentas de marketing digital

Com todas essas ferramentas diferentes para explorar, pode ser difícil saber como avaliá-las. Para ajudá-lo, listamos algumas perguntas a serem feitas antes de investir.

  • Quão importantes são as integrações? As integrações ajudam suas ferramentas a se comunicarem e, portanto, são muito importantes. A maioria das ferramentas oferece integrações embutidas (ou seja, uma conexão direta entre dois ou mais aplicativos) ou integrações por meio de ferramentas de terceiros, como Zapier, IFTTT e Automate.io. Se as ferramentas que você está considerando não se integram diretamente, certifique-se ao menos de que os dados possam passar de uma à outra. Por exemplo, certifique-se de que sua ferramenta de pesquisa permite que você baixe dados como arquivos Excel ou CSV para que você possa passá-los à sua ferramenta de automação de marketing. Mas essa deve ser apenas sua última opção. A integração é sempre preferível a mover dados manualmente de uma ferramenta para outra.
  • Preciso de um software específico para o meu setor? Provavelmente não. A maioria das ferramentas de marketing digital são baseadas em funcionalidades e não são específicas de um setor. Portanto, independentemente da sua indústria, se você precisa de uma ferramenta para monitorar suas redes sociais, uma ferramenta de gerenciamento de mídias sociais padrão deve funcionar bem. Mas se você também está avaliando ferramentas de gestão de projetos, de contabilidade ou de inteligência de negócios como um add-on para suas ferramentas de marketing, pode explorar soluções específicas do seu setor.
  • O que as pessoas pensam? Ler avaliações de usuários reais pode não apenas economizar tempo na pesquisa mas também evitar que você repita erros que outros já cometeram. Portanto, passe algum tempo lendo comentários em plataformas de terceiros como o Capterra. Se desejar, entre em contato com alguns usuários de seu software preferido. Você pode explorar o site do fornecedor para conhecer histórias de sucesso e entrar em contato com algumas das empresas que eles destacaram. Lembre-se de escolher empresas semelhantes à sua com respeito a setor, tamanho, base de clientes e localização geográfica.
  • O software pode ficar defasado? Eventualmente, sim. Para planejar a longo prazo e levar em conta os próximos meses e anos, utilize o conhecimento e a experiência da sua equipe e deixe-a contribuir com a avaliação das ferramentas de marketing digital. Procure as informações que o fornecedor oferece por meio de seus blogs, artigos, webinars e redes sociais. Além disso, avalie com que frequência eles ajustam sua ferramenta para incorporar novidades.

E, finalmente, teste as ferramentas por algumas semanas antes de assinar um contrato de um ano. Isso o ajudará a descobrir qual valor a ferramenta pode oferecer e quais desafios esperar dela.

Busca softwares de e-mail marketing? Confira nosso catálogo!

Nota: As aplicações selecionadas neste artigo são exemplos para mostrar uma característica em um contexto e não são endossos ou recomendações. Elas foram obtidas de fontes que se acreditavam confiáveis no momento da publicação.

Empresas no pós-pandemia: dicas para PMEs atuarem no digital

empresas no pós pandemia

As empresas no pós-pandemia terão de se acostumar a um ambiente de negócios mais competitivo e incerto. Reunimos dicas para ajudar os pequenos empreendedores nesse momento. 

empresas no pós pandemia

Nos últimos tempos, um argumento esteve presente em diversas ocasiões: “estamos vivendo uma crise sem precedentes”. O impacto da Covid-19 pode ser visto em todos os setores e parece estar longe de acabar.

Exemplo disso é um levantamento recente realizado pelo Instituto Brasileiro de Economia da FGV. A pesquisa identificou que 42% das empresas brasileiras talvez só voltem à situação anterior à crise a partir de 2021, sendo que outras 10% nem visualizam retornar à normalidade. Não é exagero quem diz que essa é a pior crise da nossa geração.

No entanto, há alguns movimentos positivos se desenrolando. Uma pesquisa recente do Capterra mostrou que, após a explosão da pandemia no Brasil, 72% das PMEs entrevistadas passaram a oferecer produtos e serviços online. Uma transformação digital bastante rápida e promissora para um segmento em que quase metade das empresas nem sequer tinham planos de gestão de continuidade de negócios antes da COVID-19, segundo outra pesquisa.

Com o fim de uma primeira fase da crise, os empreendedores podem pensar estratégias mais claras para suas empresas no pós-pandemia. Reunimos algumas delas neste texto.

Atrair e reter clientes em um mundo em transição

“Os pequenos empreendedores terão alguns desafios para vender, como o aumento da concorrência e possíveis guerras de preços”, afirma Luis Coelho, sócio-fundador da Empreende Aí, que capacita empreendedores de territórios populares a terem seus próprios negócios. Segundo ele, há duas importantes ações a serem tomadas:

1. Manter-se muito próximo do cliente, oferecendo novidades, promoções e vantagens com parceiros (falaremos do tema adiante).

2. Buscar novos clientes, o que inclui utilizar as redes sociais e entender as dinâmicas de vender online. 

“Separe pelo menos 70% do seu tempo para vender e buscar novos clientes, afinal, é isso que mantém o seu negócio funcionando”, explica. 

Outra dica importante é observar as tendências da sua área de atuação. Se antes as empresas observavam aos poucos as mudanças de consumo do seu público, a pandemia veio para comprovar que, dependendo do contexto, os novos hábitos surgem em pouquíssimos dias. E aí não tem jeito, é preciso se adaptar e, ao mesmo tempo, ser criativo para atrair e reter clientes.

Uma maneira de acompanhar mudanças de comportamento é analisar dados gerados pela sua empresa. Desde os canais de atendimento ao consumidor até os dados de compras realizadas anteriormente: tudo pode ser insumo para você tomar decisões e pensar em novas estratégias.

Durante o período de confinamento as pessoas saíam menos de casa. Nesse contexto, uma loja de roupas pode identificar se os consumidores estão investindo mais em roupas confortáveis. Se sim, é necessário lançar mais produtos deste estilo.

Já no caso de um restaurante, as pessoas provavelmente vão deixar de consumir fora de casa, mas talvez não tenham tempo para cozinhar. Por que não pensar em kits de comida que o cliente possa congelar e usufruir ao longo da semana? Ambos são exemplos de tendências que podem ser identificadas com dados da sua própria empresa.

Busca ferramentas de BI? Confira nosso catálogo!

Pensar em descontos como estratégia

Estratégias promocionais são importantes por vários motivos: ajudam um produto a girar, fidelizam clientes e geram uma receita extra. Para colocá-las em prática, o ideal é ter um bom conhecimento do estoque e avaliar quais mercadorias podem ser colocados à venda com uma condição especial.

No geral, um bom momento para pensar em estratégias promocionais são datas sazonais, como Black Friday, Natal, Dia das Mães, Volta às Aulas, já que são períodos que as pessoas estão mais suscetíveis a gastar, mesmo que estejam em momentos de pura economia.

empresas no pós pandemia dicas

Busca softwares de gestão de estoque? Confira nosso catálogo!

Manter as finanças em dia

Cuidar da área financeira nunca foi tão importante. Aqui surge a necessidade de fazer um bom levantamento de contas a pagar e a receber para visualizar um futuro sem sufoco. Planejar-se permitirá que você tome ações preventivas e não reativas.

Quando se trata de contas a pagar, classifique os seus fornecedores por importância e identifique aqueles que você poderá negociar um período de carência, caso necessite. Nas contas a receber, busque saber quais os procedimentos para o caso de você ter de antecipar recebíveis, o que é extremamente útil em momentos de crise.

Há ocasiões que a situação financeira desanda de vez e as empresas acabam tendo de recorrer ao crédito. Por ser um compromisso de longo prazo, antes de decidir por ele, veja se há como remodelar o negócio, enxugando custos e gerando receita extra. Se for inevitável, é importante avaliar os seguintes pontos antes de assumir um crédito: 

  • Taxa de juros
  • Quantidade de parcelas
  • Prazo de carência
  • Valor da parcela

É comum que PMEs não tenham uma movimentação financeira significativa e uma demonstração contábil que dê a garantia para o banco. Por isso, vale a pena buscar todas as opções disponíveis de crédito, tanto nos bancos privados quanto nos bancos públicos. As fintechs também são uma opção.

Busca sistemas de gestão financeira? Confira nosso catálogo!

Melhorar a presença online

Uma vez no digital, o primeiro passo é trabalhar informações que transmitam confiança ao usuário. Por exemplo, colocar dados de contato no topo da sua página, como e-mail ou número de WhatsApp, é obrigatório. No contexto atual, também faz diferença se você inserir informações de segurança, como “sem contato na entrega”, “produto higienizado” e “devolução em X dias”.

Outra maneira de fazer a sua empresa ser relevante no online é criar uma página dedicada exclusivamente a dúvidas frequentes, o famoso FAQ. Reúna as principais questões dos seus clientes e forneça as respostas para elas.

Além do FAQ, outra prática que aumenta a chance de conquistar a compra são as avaliações. Os consumidores levam a sério a experiência de outros e isso pode influenciar na conclusão da compra. Sempre que o cliente finalizar a jornada com a sua empresa, envie comunicados convidando-o a deixar uma resenha. Você pode inclusive utilizar softwares de gestão de reviews e avaliação online para ajudar na tarefa.

Quando se trata do digital, é importante ter em mente que as pessoas respondem mais rápido ao visual, já que não podem tocar o produto. Por isso é importante que você use imagens que mostrem a mercadoria sob diferentes perspectivas. O ideal é usar fotos em alta qualidade, utilizando um editor de imagens para melhorá-las.

Busca softwares para criação de sites? Confira nosso catálogo!

Pensar em estratégias de marketing

Estratégia de marketing no digital quer dizer que você vai ter que criar perfis em redes sociais para sua marca. No entanto, não significa que você terá de estar em todas elas. Busque aquelas em que seu público está ativo. Se você vende roupas para bebê, não faz muito sentido focar no LinkedIn.

Sempre mantenha a conta atualizada com conteúdo relevante. Uma maneira de facilitar a gestão é usar plataformas de gerenciamento de redes sociais para que você automatize a publicação de conteúdos. Se optar por manter um blog, trabalhe palavras-chave presentes no seu nicho, identificando-as através de ferramentas de SEO.

Uma das grandes dores de cabeça das empresas que estão no digital é o abandono de carrinho. É comum que os clientes desistam da compra na última etapa. O lado positivo é que é possível para reverter a situação por meio de e-mails automáticos incentivando o cliente a concretizar sua compra.

Busca ferramentas de e-mail marketing? Confira nosso catálogo!

Lidar com o capital humano da sua empresa

O cuidado com o capital humano nunca esteve tão no centro das relações corporativas, assim como a necessidade de comunicação, justamente em um momento que trabalhamos remotamente.

“Com crise ou sem crise, a comunicação continua sendo o maior desafio humano”, explica Fernanda Leite, mentora e designer organizacional. Segundo ela, os problemas na comunicação impactam nos resultados, nas relações, na imagem e no clima da empresa.

Para manter a comunicação ativa com o funcionário, mesmo que remotamente, é necessário investir em ferramentas de videoconferência que funcionem corretamente e sem limitações.

Entretanto, esta não é a única transformação digital reservada ao RH que ajuda a melhorar o trabalho remoto. Há opções de plataformas que auxiliam diferentes tarefas do setor, como seleção e recrutamento, onboarding e gestão de desempenho. São itens fundamentais para a gestão de equipes remotas.

Busca sistemas de recursos humanos? Confira nosso catálogo!

empresas no pós pandemia rh

Buscas softwares de contabilidade? Confira nosso catálogo!

 

Wat is low code? Snel applicaties bouwen gericht op functionaliteit

Wat is low code?

Een sterk stijgende vraag naar applicatiesoftware en een tekort aan IT-ontwikkelaars maken dat low code applicatie platformen voor veel bedrijven een oplossing bieden. Maar wat is low code precies? Dankzij deze platformen kunnen ontwikkelaars in rap tempo software-applicaties bouwen en blijven ontwikkelkosten tot een minimum beperkt. Met de grafische interface van een no code platform kun je ook zelf eenvoudige applicaties bouwen.

Gartner voorspelt dat in 2024 low-code applicatie-ontwikkeling verantwoordelijk zal zijn voor meer dan 65% van de applicatie-ontwikkelactiviteit (document beschikbaar voor klanten).

Wat is low code?

Wat is low code?

Een low code applicatieplatform (LCAP) automatiseert het ontwikkelproces. De ontwikkelaar concentreert zich op de kern van de zaak: de gewenste functionaliteit. Er wordt geprogrammeerd via een grafische interface en niet door code te typen, alhoewel dit laatste wel mogelijk blijft.

Gartner omschrijft een LCAP als volgt: “Een low code applicatieplatform maakt snelle ontwikkeling en implementatie van software-applicaties mogelijk met behulp van low code en no code technieken, zoals het beschrijvend modelgestuurd ontwerpen en ontwikkelen van applicaties, gevolgd door een eenvoudige “druk op de knop” implementatie.”

Een LCAP creëert metadata, waaruit tijdens runtime de onderliggende serverinfrastructuur wordt afgeleid. Veel lowcode platformen staan tevens procedurele programma-extensies toe. Een LCAP bestaat uit en ondersteunt:

  • Gebruikersinterfaces via responsieve webapplicaties en mobiele apps.
  • Een ingebouwde database.
  • Het modelleren en orkestreren van bedrijfsprocessen en beslissingen of regels.
  • Implementatie van applicaties met één druk op de knop.

Low code versus no code

Bij low code ligt de nadruk op het vereenvoudigen van het ontwikkelen van een applicatie. Het bouwen, testen, monitoren, integreren en opleveren (DevOp) zijn geautomatiseerd en gebeuren op de achtergrond. Hoewel de ontwikkelaar nog wel de mogelijkheid heeft om handmatig te programmeren, wordt de applicatie gebouwd met behulp van een grafische interface. Het resultaat is een korte oplevertijd van de applicatie. Met een LCAP blijft het mogelijk om complexe applicaties te bouwen, iets wat met een no code platform niet mogelijk is.

Een no code platform is voor het bouwen van eenvoudige applicaties met een beperkte functionaliteit. Er wordt gebouwd met blokjes, waarachter de programma-code schuilgaat. Het is als een soort Lego. Dit geeft natuurlijk enkele beperkingen, No code is vooral geschikt voor “key users” of “citizens” die gebruikmaken van Excel of Acces om missende functionaliteiten in het dagelijks werk te compenseren.

low code versus no code

Voordelen van low code

  • Door het automatiseren van het DevOps proces, wordt de ontwikkelings- en oplevertijd voor nieuwe applicaties sterk teruggebracht. In een tijd waarin er een tekort is aan IT-ontwikkelaars, is dit natuurlijk een sterk pluspunt.
  • Applicaties ontwikkeld op maat van de onderneming komen met de LCAP’s ook binnen bereik van de kleinere onderneming.
  • Zelf ontwikkelde applicaties zijn jouw eigendom.
  • Flexibel en snel inspelen op veranderingen wordt mogelijk, doordat voor kleine aanpassingen van applicaties niet altijd meer een programmeur nodig is. Dankzij de grafische interface kunnen deze door de eigen IT-afdeling of citizens worden gerealiseerd.
  • Verbetering van de gebruikers ervaring, mede door de mogelijkheid dat gebruikers zelf eenvoudige applicaties voor een ontbrekende functionaliteit of rapportage bouwen. Hiermee wordt een onbeheersbare “schaduw IT” voorkomen. De low code of no code applicaties zijn geïntegreerd in de bedrijfssoftware en is dus voor de IT-afdeling beter beheersbaar.
  • Aan de hand van role-based acces, heeft een IT-afdeling een centraal overzicht in de autorisaties van de gebruikers. Het aanpassen van autorisaties is slecht een kwestie van een nieuwe gebruikersrol toekennen of blokkeren bij een gebruiker.

3 soorten low code platformen

Niche platformen richten zich op een specifieke behoefte of bedrijfsproces, bijvoorbeeld Customer Relations Management (CRM) of Business Process Management (BPM). Deze applicaties moeten wel geïntegreerd worden met bestaande software architectuur in de onderneming, wat niet altijd eenvoudig is.

De tegenhangers van de nichespelers zijn de platformen welke geschikt zijn om alle typen applicaties te ontwikkelen. Vaak zijn er voor deze platformen API’s beschikbaar, zodat de applicaties gemakkelijk kunnen integreren met reeds bestaande software in de onderneming.

Tot slot zijn er nog platformen die zich specifiek richten op software-applicaties voor een speciale leverancier. Microsoft met Microsoft PowerApps, Google met Google App Maker en Oracle met Oracle Application Express (APEX) zijn hier voorbeelden van.

Hoe kies je het juiste low code platform?

Het begint allemaal met de vraag waarom je op zoek bent naar een low code platform, welke problemen denk je op te lossen?

  • Zoek je low code of no code?
  • Ben je opzoek naar één applicatie, of wil je alle bedrijfsprocessen onderbrengen op een LCAP?
  • Zoek je nieuwe functionaliteiten of uitbreiding van functionaliteit?
  • Zoek je applicaties geschikt voor desktop, mobiel of beide?
  • In de cloud van de leverancier (public of private), eigen cloud of toch liever on premise?

Wanneer je duidelijk voor ogen hebt wat je zoekt, kun je verschillende low code platformen gaan vergelijken. Het lezen van reviews van gebruikers kan zeer nuttig blijken in dit proces.

Op Capterra staan meer dan een miljoen reviews over softwareproducten, waaronder ook veel reviews van gebruikers van low code development software en no-code software. Het lezen van deze reviews helpt je om de juiste keuze te maken.

Voorbeelden van low code toepassingen

Oorspronkelijk werd low-code applicatie ontwikkeling gebruikt voor IT-personeel binnen een onderneming (B2E). Het is dan ook uitermate geschikt om bijvoorbeeld op maat gemaakte online databases te creëren voor het stroomlijnen van bedrijfsactiviteiten. Denk bijvoorbeeld aan verschillende doeleinden als lead management, project management, facturatie of klantgegevens. Gebruikers kunnen de database van scratch opbouwen of gebruik maken van sjablonen zonder programmering die de ontwikkeling vereenvoudigen.

database bouwen Teamdesk
Het bouwen van een leads management database vanuit een sjabloon van Teamdesk (bron)

Low code platformen kunnen ook toepassingen van verschillende afdelingen, zoals CRM, ERP, HR, boekhouding, verkoop en PM integreren met behulp van API’s. De software kan zo stap voor stap met de onderneming meegroeien.

applicatie bouwen zonder programmeren met Ninox
Eigen zakelijke toepassingen creëren met het low code platform Ninox (bron)

De positieve gebruikerservaring en schaalbare licentiemodellen hebben er echter toe geleid dat low-code nu ook wordt ingezet voor B2B en B2C applicaties. Denk bijvoorbeeld aan low code development software voor SaaS- en app-ontwikkelaars die hun gebruikers een geïntegreerde automatiserings- en integratiedienst willen aanbieden.

integraties bouwen met low code platform Cyclr
Connectors van Cycrl – Software waarmee app-ontwikkelaars hun klanten integratie-oplossingen kunnen bieden (bron)

Het verbeteren van de customer experience is een ander voorbeeld van een B2B of B2C toepassing. Mobiele applicaties gebouwd voor klanten, waarmee zij bijvoorbeeld inzicht in de status van de orders krijgen, of in de beschikbare voorraad.

En nu? Bekijk onze catalogus met low code development software om de juiste tool te vinden

* De in dit artikel genoemde toepassingen zijn voorbeelden om een functie in de context te tonen en zijn niet bedoeld als goedkeuringen of aanbevelingen. Ze zijn verkregen uit bronnen die ten tijde van de publicatie betrouwbaar werden geacht.

 

Proptech: descubra a revolução no setor imobiliário

proptech

proptech

Há alguns anos, se pretendíamos comprar ou alugar uma casa, recorríamos aos classificados dos jornais, marcávamos os imóveis que nos interessavam e depois contatávamos por telefone o proprietário ou a agência imobiliária. Tudo isso mudou radicalmente desde que a proptech entrou no mercado imobiliário. Mas o que é proptech?

O que é proptech?

Proptech vem do inglês property technology e define-se como o conjunto de tecnologias inovadoras utilizadas no setor imobiliário, incluindo aquelas relacionadas a finanças, realidade virtual, automação residencial, big data, entre outras.

Neste artigo você vai saber mais sobre o que é a proptech e o que ela oferece, bem como as vantagens de utilizar este tipo de serviço.

Proptech em números

De acordo com pesquisa lançada em março pelo hub de inovação Distrito, o número de empresas do tipo atuando no Brasil aumentou 55% entre 2016 e 2020

Ainda segundo a Distrito, mais de US$ 800 milhões (cerca de R$ 4,2 bilhões) foram investidos em proptechs desde 2011, a grande maioria em três empresas, dado que ilustra que há ainda muito espaço para o crescimento desse mercado no país, com a diversificação de players e áreas de atuação. 

Quais ferramentas a proptech oferece?

Agora que já falamos sobre o que é proptech e sua abrangência, listaremos alguns exemplos práticos de uso.

Plataformas marketplace e ponto a ponto

Certamente você conhece e usa portais para a busca de imóveis. Esses sites, conhecidos como marketplaces, estão implementando cada vez mais a proptech para facilitar as relações comerciais entre locatários, proprietários e imobiliárias, permitindo, por exemplo, o envio de mensagens da própria plataforma e a realização de reservas ou visitas virtuais às propriedades.

Já as plataformas ponto a ponto (do inglês pessoa a pessoa) permitem o contato direto do proprietário com o locatário ou comprador por meio de ferramentas de mensagem instantânea, eliminando intermediários. O Airbnb é uma das empresas mais conhecidas que usa esse tipo de tecnologia.

Tours virtuais

Outra das ferramentas impulsionadas pela protech é aquela que permite visitas virtuais dos imóveis oferecidos. Algumas dessas soluções incluem uma maquete 3D da casa com fotos 360º, na qual o usuário pode visitar cada cômodo a partir do seu computador ou smartphone, algo em alta neste momento devido à situação de pandemia do coronvavírus, que está limitando movimentos e o contato físico. 

Existem várias ferramentas para a criação de modelos 3D de casas que permitem elaborar uma maquete virtual da propriedade a partir de fotos 360º ou totalmente simulada em gráficos.

Além da modelagem 3D, muitas empresas estão utilizando softwares de realidade virtual para oferecer ao usuário uma experiência única. Com eles, é possível visitar o imóvel sem sair de casa, por meio do smartphone ou usando óculos de realidade virtual. Você pode até visualizar prédios a serem construídos e, dessa forma, tomar uma decisão de investimento com mais informações sobre como seria a propriedade.

Usando big data para análise de dados

Existem várias ferramentas de big data disponíveis no mercado que podem ser usadas na área de proptech. O big data permite acessar uma grande quantidade de dados para analisar o comportamento de determinado segmento da população. São os dados que todos nós compartilhamos diariamente com as empresas digitais as quais usamos os serviços.

Essas informações são extremamente úteis ao analisar cenários futuros e identificar oportunidades antes da concorrência. Tais dados podem ajudar a identificar potenciais clientes, mostrando, por exemplo, para que determinada área está se deslocando um segmento da população com determinada renda. Também pode nos mostrar a diminuição ou aumento da atividade de compra de imóveis em uma determinada área e identificar outras com maior rentabilidade.

Plataformas de financiamento e transações financeiras

A gestão financeira é essencial em qualquer setor da indústria, e as ferramentas de gestão financeira se tornaram hoje aliadas fundamentais para qualquer PME (pequena e média empresa). As proptechs também atuam nessa área. 

Sabemos que a forma tradicional de obtenção de financiamento é recorrer aos bancos. Proptechs de crowdfunding (o financiamento coletivo), no entanto, permitem o acesso a uma rede de investidores que podem ir desde pessoas físicas a empresas.

Além disso, as ferramentas da proptech também possibilitam a realização de transações monetárias por meio de soluções conhecidas como fintechs. As principais vantagens do uso dessas tecnologias são a redução de despesas em relação às operações financeiras realizadas com bancos tradicionais, já que tudo é feito online, e a possibilidade da utilização de sistemas alternativos de pagamento, como criptomoedas, entre outros.

As principais vantagens da proptech

Depois de conhecer essa tecnologia e ver algumas das soluções que ela oferece, você pode se perguntar se realmente vale a pena implementar este tipo de ferramenta na sua empresa. Entre suas principais vantagens, destacamos as seguintes:

  • Permitir agregar valor ao serviço prestado por uma imobiliária e oferecer benefícios tanto para o usuário quanto para a empresa. Além disso, com o aumento do uso da tecnologia em diversos setores, investir nessas ferramentas está se tornando cada vez mais vital para se destacar da concorrência.
  • Facilitar o contato entre vendedor e comprador. Ao usar comunicação ponto a ponto, os intermediários são eliminados e a experiência na comunicação entre o proprietário e o locatário é aprimorada por meio de aplicativos de mensagens instantâneas.
  • Permitir visitas virtuais aos imóveis através de um anúncio publicado em um portal imobiliário acaba por ser uma grande vantagem, principalmente durante a pandemia da Covid-19, que diminuiu o número de visitas presenciais, minimizando também o tempo gasto.
  • Utilizar ferramentas de big data, que permitem analisar e obter informações valiosas para a investigação de determinados perfis, como futuros compradores. Esses dados também permitem refinar a busca de potenciais clientes com solvência financeira.

Como mostram os dados, a proptech parece ter vindo para ficar e investir neste tipo de ferramenta poderá deixar de ser uma opção e se tornar uma necessidade para as empresas imobiliárias.

Procurando um software de gerenciamento de imóveis? Confira nosso catálogo!

Como montar um site de vendas: selecionamos as ferramentas imprescindíveis

como montar uma loja virtual

como montar uma loja virtual

Nos últimos anos, o varejo online, outro nome dado para o conhecido comércio eletrônico, se tornou parte integrante da vida da maioria dos consumidores. Somente em 2019, faturou R$ 75 bilhões no Brasil.

O número chama a atenção, verdade? Sua empresa não pode, portanto, perder uma fatia deste bolo apenas porque a criação de uma loja virtual parece intimidadora e confusa.

Não sabe como montar um site de vendas? Para ajudá-lo na tarefa, criamos este artigo com detalhes sobre as principais ferramentas para configurar e  gerenciar sua página.

Varejo físico

A ideia de criar uma plataforma de vendas online pode parecer intimidadora para os varejistas de lojas físicas, seja pela falta de familiaridade com os aspectos técnicos de criação e configuração de uma loja virtual ou pela falta de recursos para investir em hardware e software.

Mas é preciso levar em conta que um site de vendas online pode trazer vários benefícios, tais como:

✔ a continuidade dos negócios em um ambiente de varejo cada vez mais digital, algo potencializado pela crise do coronavírus;

✔ o aumento de pedidos de clientes novos ou já existentes nas proximidades;

✔ atender o mercado local com serviços de entrega próprios.

A boa notícia é que um software adequado pode reduzir o esforço na criação de uma loja virtual, tornando o processo simples e fácil. Além disso, existem várias opções gratuitas e de código aberto para escolher, caso seus recursos sejam limitados.

como montar uma loja virtual tradicionais

Ferramentas tradicionais

Sistemas PDV para varejo: os softwares de ponto de venda (PDV) para varejo são a versão moderna da caixa registradora. Eles ajudam a processar pagamentos recebidos em várias modalidades, como dinheiro, cartão de crédito ou débito ou carteira virtual.

Se você ainda não usa um software de PDV, o diretório do Capterra e este artigo com opções gratuitas servirão como ponto de partida.

Software de contabilidade: softwares de contabilidade são basicamente versões digitais e automatizadas do livro-caixa de uma empresa. Eles ajudam os varejistas a controlar o faturamento, organizando as contas a receber, a pagar, etc.

Se a sua empresa ainda não usa um software de contabilidade, você pode começar visitando o diretório de programas desta categoria.

Ferramentas a serem adicionadas

Plataformas de E-Commerce

Plataformas de e-commerce ajudam a montar um site de vendas e a gerenciar as operações de varejo online. Normalmente, oferecem recursos como modelos de sites pré-configurados, lista de produtos, carrinho de compras, gerenciamento de catálogo, gestão de estoque e gestão de pedidos.

Este guia de compra traz as principais informações sobre o que as plataformas de e-commerce oferecem.

Squarespace print
Página para adicionar produtos a lojas virtuais do Squarespace (Fonte)

Para ir direto ao ponto e conferir as principais ferramentas de comércio eletrônico, visite o diretório do Capterra.

Software CRM

Softwares de gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM) ajudam os varejistas a gerenciar melhor as interações com os clientes, agilizando a comunicação em vários canais, como e-mails, mensagens, ligações telefônicas e redes sociais. Em geral, as ferramentas de CRM oferecem recursos como gestão de contatos e leads, acompanhamento das interações, calendário e armazenamento de documentos.

Este guia de compra traz informações detalhadas sobre os softwares CRM.

agilecrm print
Funcionalidade de criação de templates do Agile CRM (Fonte)

Se preferir ir direto ao ponto, veja o diretório de softwares CRM do Capterra.

Caso você não possa investir em uma nova ferramenta, confira nosso artigo com várias opções de softwares de CRM gratuitos e de código aberto.

Software de gerenciamento de serviços de campo

Os softwares de gerenciamento de serviços de campo auxiliam os varejistas a gerenciar a força de trabalho que atua fora do escritório. Para lojas de varejo online que atendem o mercado local, essas ferramentas são úteis para gerenciar os pedidos e garantir que os responsáveis pela entrega não percam tempo procurando o endereço do cliente. Essa categoria de softwares normalmente oferece recursos como gestão de expedição, gestão de pedidos, cobrança e faturamento.

Confira também nosso guia de compra que analisa em detalhe os softwares de gerenciamento de serviços de campo.

tasker print
Exemplo de planificação de rotas do Tasker (Fonte)

Se preferir, acesse diretamente o diretório de programas de gerenciamento de serviços de campo do Capterra e compare opções.

Outras ferramentas a serem consideradas

Sistemas de help desk

Os sistemas de help desk permitem que os varejistas respondam às consultas e dúvidas dos clientes, simplificando todas as solicitações recebidas por e-mail, telefone e pelo site em um único sistema de tíquetes. Geralmente, as ferramentas de help desk oferecem recursos como gestão da base de conhecimento, gestão de tíquetes e rastreamento de interações.

Este guia de compra detalha o funcionamento básico dos sistemas de help desk.

help scout print
Página para revisar reclamações de clientes do Help Scout (Fonte)

Você também conferir o diretório da categoria no Capterra.

Caso você não possa investir neste momento, este artigo traz diversas opções de sistemas de help desk gratuitos e open source.

Ferramentas de e-mail marketing

Os softwares de e-mail marketing auxiliam os varejistas a automatizarem seu trabalho de e-mail marketing e a se comunicarem com os clientes com mais frequência. Você pode usar a ferramenta para enviar newsletters, e-mails após cada compra ou quando um pedido é despachado. Em geral, os sistemas de e-mail marketing apresentam recursos como gerenciamento de listas, gestão de assinantes, campanhas por e-mail e modelos de e-mails.

Este guia de compra explica as ferramentas de e-mail marketing em detalhe.

mailchimp ferramentas para vendas online
Página para criar campanhas de e-mail marketing no Mailchimp (Fonte)

Para empresas que não podem investir em uma ferramenta de e-mail marketing agora, há diversas opções grátis no mercado.

Varejo online e multicanal

É provável que os varejistas online e omnichannel já tenham uma loja virtual, algum conhecimento técnico e um orçamento dedicado a esse setor. Aqui, portanto, a questão não seria tanto como montar um site de vendas, mas como melhorá-lo. 

Para estes, mudanças na loja virtual podem ser vistas como uma maneira de aprimoramento para atingir objetivos como:

✔ crescimento do negócio com investimento em novos produtos ou localidades;

✔ aquisição de novos clientes e melhoria da experiência dos já existentes;

✔ melhoria do serviço de entrega local e nacional com parceiros logísticos.

Esses objetivos são importantes para se manter competitivo no mercado em rápida evolução dos dias de hoje. Eles também se tornam essenciais para as operações em tempos de crise, como o distanciamento social da Covid-19, que fez dobrar o número de consumidores que afirmam fazer compras recorrentes online na comparação com o período pré-crise.

como montar uma loja virtual tradicionais virtual

Ferramentas tradicionais

Sistemas PDV: varejistas online e omnicanal precisam garantir que suas ferramentas de PDV aceitem pagamentos por meio de gateways online, como internet banking, carteiras virtuais e cartões de crédito e débito.

Plataformas de e-commerce: ao explorar sistemas e-commerce, tenha em mente as seguintes funcionalidades:

  • recurso de gestão de estoque que atualiza automaticamente os registros de vendas das lojas virtuais e físicas;
  • integração do software com o parceiro logístico, no caso de usar um serviço terceirizado para entregas;
  • integração com softwares de gerenciamento de serviços de campo para permitir o uso de agentes internos de entrega.

Software de gerenciamento de serviços de campo: os softwares de gerenciamento de serviços de campo permitem que varejistas online entreguem bens e serviços a seus clientes. Eles são necessários apenas quando o varejista tem uma equipe interna de entrega, pois ajudam os entregadores a planejar a rota de entrega, bem como a encontrar o endereço dos clientes.

Sistemas de contabilidade: softwares de contabilidade funcionam praticamente da mesma maneira para as lojas físicas e as virtuais ou omnicanal. Porém, lembre-se de que a ferramenta selecionada deve ser integrada ao sistema PDV.

Software CRM: as principais plataformas de e-commerce também apresentam um CRM integrado. Entretanto, ferramentas de CRM autônomas podem oferecer vários recursos avançados, como:

  • personalização automática de e-mails ou mensagens com base nas compras anteriores do cliente;
  • coleta de dados demográficos para segmentação em grupos;
  • relatórios para análise do histórico de compras dos clientes e identificação de tendências.

Sistemas de help desk: ao escolher uma ferramenta de help desk, certifique-se de que ela pode ser integrada aos sistemas de CRM e e-commerce. Isso reduzirá o tempo que os agentes de atendimento ao cliente gastam tratando de questões e dúvidas dos consumidores.

Ferramentas a serem adicionadas

Software de gestão de varejo

Os sistemas de gestão de varejo reúnem os recursos de várias ferramentas, como PDV, recursos humanos, marketing, comércio eletrônico e CRM em um único software. Eles ajudam os varejistas online e omnicanal a otimizar as operações e a compreender o comportamento do cliente. Algumas ferramentas de gestão de varejo também oferecem recursos como sugestão de vendas, que promovem up selling e cross selling de produtos adicionais durante o checkout do cliente.

Este guia de compra apresenta uma visão detalhada dos sistemas de gestão de varejo.

vendpos print
Gestão de inventário no VendPOS (Fonte)

Para conhecer opções de sistemas de gestão de varejo, visite o diretório do Capterra.

Se você não pode investir em uma ferramenta neste momento, há diversas opções grátis no mercado.

Ferramentas de automação de marketing

Ferramentas de automação de marketing auxiliam os varejistas a automatizar os processos de marketing, como rastreamento de clientes, publicação de conteúdo, segmentação de clientes e análise de marketing. Também ajudam a otimizar as operações de marketing com gestão das campanhas de marketing de ponta a ponta.

Este guia de compra traz informações detalhadas de tais sistemas.

marketo print
Exemplo de relatório de performance do Marketo (Fonte)

Se preferir, você pode ir diretamente ao diretório do Capterra para explorar as principais ferramentas de automação de marketing do mercado.

Software de experiência do cliente

Softwares de experiência do cliente permitem coletar, organizar e rastrear o feedback do cliente para que os agentes de atendimento ao consumidor possam fechar solicitações e consultas com mais eficiência. Esses sistemas ajudam a melhorar a experiência do cliente, a construir uma imagem de marca positiva e a aumentar a lucratividade. Normalmente, eles incluem recursos como gerenciamento de comentários, coleta de dados multicanal, análise de sentimentos e análise de dados preditiva.

Este guia de compra (em inglês) traz mais detalhes sobre como funcionam os softwares de experiência do cliente.

SmartKarrot ferramentas para vender online
Painel de experiência do consumidor do SmartKarrot (Fonte)

Outras ferramentas a serem consideradas

Software para vendas sociais

Os softwares para vendas sociais auxiliam os varejistas a criar envolvimento com os clientes e vender produtos por meio de redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest. Essas ferramentas permitem anunciar nessas plataformas, responder a consultas dos clientes e compartilhar informações relacionadas ao produto com as comunidades online existentes. Os softwares para vendas sociais oferecem ainda recursos como envolvimento dos leads, indicadores de desempenho e gestão de conteúdo.

Este guia de compra (em inglês) apresenta os softwares para vendas sociais em detalhes.

sprout social como montar loja virtual
Calendário para publicação do Sprout Social (Fonte)

Ferramentas de fidelização e recompensas

Os sistemas de fidelização de clientes ajudam os varejistas a configurar e colocar em prática programas de fidelidade para recompensar clientes regulares e incentivá-los a voltar. As recompensas oferecidas incluem vales-presente, vouchers de desconto e cashback. Esses sistemas oferecem recursos como acompanhamento de atividades e gestão de recompensas.

Este guia de compra (em inglês) traz informações detalhadas sobre os sistemas de fidelização de clientes.

loyverse sprint
Página para editar perfil do consumidor no Loyverse (Fonte)

Como montar um site de vendas: a escolha  da ferramenta

Agora que você sabe de quais ferramentas precisa, veja uma pequena lista de considerações importantes para ter em mente na hora de escolher.

Requisitos de funcionalidades: o mercado oferece uma ampla gama de ferramentas em qualquer categoria, das mais básicas às mais avançadas. Antes de selecionar uma, verifique os recursos específicos de que você precisa e compare as opções disponíveis.

Orçamento: antes de iniciar sua jornada de compra de software, saiba exatamente quanto dinheiro você pode gastar para a compra e a implementação do sistema. Ao explorar as ferramentas, atenha-se a este orçamento e desconsidere as opções que estejam fora dele.

Implantação: com a implantação baseada na nuvem, o fornecedor cuida dos aspectos técnicos e da hospedagem, e os usuários só precisam fazer o login por meio de um navegador ou aplicativo para usar a ferramenta. Entretanto, se você tiver uma boa estrutura e recursos, também pode explorar softwares on premise, instalados nos servidores da empresa.

Busca sistemas PDV? Confira nosso catálogo!

Nota: Os softwares selecionados neste artigo são exemplos para mostrar  características em contexto. Eles foram selecionados a partir de uma filtragem de soluções com mais avaliações ou mais bem classificadas na página da sua respectiva categoria. Não se destinam a ser endossos ou recomendações das ferramentas em questão.

Was ist PropTech und welche PropTech Software gibt es? Die Revolution der Immobilienbranche

Was ist PropTech?

Wenn wir vor einigen Jahren ein Haus kaufen oder mieten wollten, haben wir die Kleinanzeigen in Zeitungen durchsucht und Immobilien markiert, an denen wir interessiert waren. Anschließend haben wir den Eigentümer oder die Immobilienagentur telefonisch kontaktiert. All dies hat sich seit dem Aufkommen von PropTech im Immobiliensektor radikal geändert. Doch was ist eigentlich PropTech?

Was ist PropTech und welche PropTech Software gibt es?

Was ist PropTech?

PropTech kommt vom Englischen Property Technology und definiert sich durch eine Reihe von innovativen Technologien, die im Immobiliensektor genutzt werden. Es taucht immer mehr PropTech Software auf, die in Zusammenhang mit Technologien wie Finanzen, der virtuellen Realität der Hausautomation und Big Data steht.

Lies weiter, um mehr über PropTech, PropTech Software und die Vorteile dieser Art von Service zu erfahren.

PropTech Unternehmen in Deutschland

PropTech Unternehmen unterstützen die eher analoge Branche bei den Herausforderungen der digitalen Transformation. In den letzten Jahren zeigt sich hier ein deutliches Wachstum. Proptech.de zählt im Moment 452 PropTech Unternehmen in Deutschland. Der Sektor knackt damit im Juni dieses Jahres die 400er Marke.

Die weltweite Pandemie trägt auch ihren Beitrag zum Wachstum von PropTech bei. So kann die Anzahl der persönlichen Kontakte durch virtuelle Besichtigungen reduziert wird. Die Anzahl der PropTechs ist im Juni gegenüber der letzten Zählung im März 2020 insgesamt um 67 Unternehmen gestiegen.

Welche PropTech Software gibt es?

Nachdem wir nun schon über PropTech und seine Anwendungsbereiche gesprochen haben, möchten wir einige Beispiele für seine Verwendung mit den entsprechenden Technologien auflisten.

Marktplätze und Peer-to-Peer-Plattformen

Mit Sicherheit kennst und nutzt du Portale wie idealista und immobilienscout24. Diese Webseiten, die als Marktplätze bekannt sind, implementieren zunehmend PropTech Software, um Geschäftsbeziehungen zwischen Mietern und Eigentümern sowie Immobilienagenturen zu verbessern. Nutzer können beispielsweise Nachrichten von der Plattform aus versenden, Reservierungen vornehmen oder Häuser virtuell besuchen.

Bei Peer-to-Peer-Plattformen (von Englisch, Person zu Person) ermöglicht PropTech den direkten Kontakt zwischen Eigentümer und Käufer/Vermieter über Instant-Messaging-Tools, wodurch Vermittler wegfallen. Das bekannteste Unternehmen bei der Verwendung dieser Art von Technologie ist Airbnb.

Virtuelle Besichtigungen

Der Immobiliensektor hat PropTech Software implementiert, die einen virtuellen Besuch der angebotenen Immobilie ermöglichen. Einige dieser Lösungen umfassen ein 3D-Modell des Hauses, das 360-Grad-Fotos integriert, sodass der Benutzer jeden Raum von seinem Computer oder Smartphone aus besuchen kann. Da wir uns aktuell in Zeiten einer Pandemie befinden, wo Bewegungen und körperlicher Kontakt begrenzt sind, ist diese Technologie derzeit auf dem Vormarsch.

Es gibt einige Tools zum Erstellen von 3D-Modellen von Häusern, die es ermöglichen, ein virtuelles Modell der Immobilie aus 360-Grad-Fotos zu erstellen oder diese vollständig mit Grafiken zu simulieren.

Neben der 3D-Modellierung gibt es Unternehmen, die Virtual-Reality-Software verwenden, um Nutzern ein einzigartiges Erlebnis bieten zu können. Der Interessent kann die jeweilige Immobilie über das Smartphone oder mit einer Virtual-Reality-Brille besuchen, ohne dabei sein Haus zu verlassen. Es lassen sich sogar Gebäude visualisieren, die gebaut werden sollen. Das kann das Treffen einer Investitionsentscheidung erleichtern, da mehr Informationen vorliegen.

Verwendung von Big Data zur Analyse von Daten

Es gibt einige Big-Data-Tools, die es ermöglichen, das volle Potenzial von PropTech in der Immobilienbranche auszuschöpfen. Die Big Data gewährt Zugriff auf eine große Datenmenge, um das Verhalten eines bestimmten Teils der Bevölkerung zu analysieren. Diese Daten teilen wir alle täglich mit digitalen Unternehmen, deren Dienste wir nutzen.

Besagte Informationen sind äußerst hilfreich, wenn Szenarien analysiert und Chancen identifiziert werden sollen, bevor die Konkurrenz es tut. Die aus Big Data extrahierten Daten können dabei helfen, potenzielle Kunden zu identifizieren und beispielsweise zu zeigen, an was für Orte Teile der Bevölkerung mit einem bestimmten Einkommen ziehen. Die Daten können uns auch die Abnahme oder Zunahme der Kaufaktivität von Eigenheimen in einer bestimmten Region zeigen und Orte mit höherer Rentabilität identifizieren.

Plattformen für Finanzierung und Finanztransaktionen

Das Finanzmanagement nimmt in jeder Branche einen wichtigen Stellenwert ein. Aus diesem Grund gibt es Tools für das Finanzmanagement, die heute für jedes KMU ein essenzieller Verbündeter sind. Neben der Verwendung dieser Art von digitalen Steuerungs- und Prognosetools führt PropTech weitere sehr nützliche Tools für den Immobiliensektor ein.

Der traditionelle Weg zur Finanzierung einer Immobilie führte über Banken. PropTech in der Immobilienbranche ermöglicht die Verwendung von Mikrofinanz-Tools, die als Crowdfunding bekannt sind und Zugang zu einem Netzwerk von Investoren eröffnen, das von Einzelpersonen bis hin zu Unternehmen reichen kann.

PropTech Software ermöglicht auch die Durchführung von Geldtransaktionen mit Lösungen, die unter den Bereich der Finanztechnologie fallen. Der Hauptvorteil bei der Verwendung dieser Technologien ist die Reduzierung der Kosten im Vergleich zu denselben Finanzvorgängen, die mit herkömmlichen Bankgeschäften durchgeführt werden. Das hängt damit zusammen, dass keine manuellen Vorgänge in einem Büro erforderlich sind und alternative Zahlungssysteme wie Kryptowährungen verwendet werden können.

Die Hauptvorteile von PropTech in der Immobilienbranche

Da du nun weißt, was PropTech ist und welche Lösungen es bietet, fragst du dich möglicherweise, ob es wirklich praktisch ist, diese Art von Werkzeug in dein Unternehmen zu implementieren. Das sind die Hauptvorteile der Nutzung von PropTech:

  • PropTech ermöglicht einen Mehrwert für den Service eines Immobilienunternehmens und bietet sowohl Nutzern als auch Unternehmen Vorteile. Angesichts des branchenübergreifenden Einsatzes von Technologie ist die Investition in Immobilien PropTech Software von entscheidender Bedeutung, um sich von der Konkurrenz abzuheben.
  • Es erleichtert den Kontakt zwischen Verkäufer und Käufer. Durch die Nutzung von Peer-to-Peer-Kommunikation werden Vermittler beseitigt und die Kommunikationserfahrung zwischen Eigentümer und Mieter durch Instant Messaging-Apps verbessert.
  • Es ermöglicht virtuelle Besuche der Immobilie durch die auf einem Immobilienportal veröffentlichte Anzeige, was insbesondere während der COVID-19-Pandemie ein großer Vorteil ist, da die Anzahl der persönlichen Besuche reduziert wird. Darüber hinaus haben die Fachleute einen geringeren Zeitaufwand.
  • Mithilfe von Big Data-Tools lassen sich sehr wertvolle Informationen für die Untersuchung bestimmter Profile wie die zukünftiger Käufer analysieren und einholen. Diese Daten ermöglichen zudem, die Suche nach potenziellen Kunden mit einer gewissen Zahlungsfähigkeit zu verfeinern.

PropTech ist gekommen, um zu bleiben. Es wird weltweit implementiert und es gibt immer mehr deutsche Unternehmen, welche entsprechende Lösungen anbieten. Die Realität ist, dass Investitionen in diese Art von Tools für alle Unternehmen des Immobiliensektors von einer Option zu einer Notwendigkeit geworden sind.

Wie geht es weiter? Wirf einen Blick auf unser Immobilienmanagement Software Verzeichnis, um das passende Tool zu finden.